“TREME -TERRA” - 186º Aniversário da Polícia Militar do antigo Estado do RJ

Publicado em
14-04-2020

treme terraO Subsecretário Militar do GSI parabeniza e homenageia os Oficiais e Praças que fizeram parte da Polícia Militar do antigo Estado do Rio de Janeiro – “Treme Terra”, pelo seu 186º aniversário de criação, comemorado em 14 de abril. 
Há exatos 186 anos, por intermédio do Ato Adicional de 12 de agosto de 1834, nasce em 14 de abril do ano seguinte, na província, a força policial denominada Guarda Policial da Província do Rio de Janeiro, dando início a uma história onde figuram heróis que não só defenderam a sociedade da então capital Fluminense, mas também, que pontuaram com atos dignos da nossa mais profunda admiração, momentos de alta relevância da história de nosso país, sem que ao menos tenham tido a real importância de seus feitos. Desde então, face a firmeza de seus atos e a coragem desmedida, tal plêiade de valorosos homens ganhou a carinhosa alcunha de TREME –TERRA pela galhardia e denodo de seus membros em batalhas. Dentre os nobres feitos, podemos destacar a participação destes heróis na Guerra do Paraguai em 1865, sendo inclusive reconhecida tal participação quando foi criada pelo Governo Argentino, medalha de bravura destinada aos soldados daquele país, homenageando aquela fração de tropa e nominando a medalha como Medalha de Bravura 12º Corpo de Voluntários da Pátria. Esses heróis também participaram como Corpo Auxiliar do Exército Brasileiro, contrários às ações das Revoltas da Armada e da Vacina, e destacaram -se ainda pelas não menos nobres ações contra revolucionários de Minas Gerais em 1930 e em 1932 em São Paulo. Entretanto, o Governo Federal, em 1974, através da Lei Complementar nº 20, resolveu fundir o Estado do Rio de Janeiro ao da Guanabara, consolidada em março do ano subsequente, aglutinando a Polícia Militar dos dois Estados tornando-a uma só Corporação. Fortalecida em suas tradições, herdando todo um arcabouço heróico, de ideais e de glórias de ambas as tropas de infantes e incansáveis guerreiros da ordem e da paz! 
O passado é o nosso legado e o nosso futuro, apesar de incerto, é o que nos conduz às pelejas e conquistas! E é por isso que nunca deixaremos de cultuar nossas tradições, nossos antepassados e seus feitos! Nossa profissão sempre foi e será um constante desafio, ratificando a cada dia nosso solene juramento da defesa do próximo, mesmo com o sacrifício de nosso maior bem concedido, a vida! Por isso, não devemos passar ao largo todos os atos que nos enaltecem, bem como nossa história que nos glorifica e nos honra. 
Nobres Guerreiros! Parabéns por mais um aniversário da Corporação que os acolheu. Nossa obrigação será sempre a de cultuar e não deixar que pereçam as tradições e as ações legítimas de homens cujas atitudes contribuíram sobremaneira para o bem de outrem que sequer conheciam! Nossas sinceras homenagens a vocês “Vigilantes Obreiros”, eternos sentinelas da ordem e da paz!

 Até o último Treme -Terra! 

“A mim me chamais de Consolidador da República... Consolidador da República é a Guarda Nacional, são os Corpos da Polícia da Capital e do Rio, batendo -se com heroísmo e selando com seu sangue as instituições proclamadas pela Revolução de 15 de Novembro” 
Mal. Floriano Peixoto, em carta deixada antes de falecer.